A Internet das Coisas e a Hotelaria

Imagine um minibar com sensor que avisa a cada item retirado, faz cobrança automática e ainda manda a informação para o almoxarifado. E a mala inteligente que pode ser rastreada e monitorada. Ou quem sabe o gerenciamento de toda a automação do quarto (cortinas, ar condicionado, iluminação, etc) do celular do hóspede.

Conceitos como Big Data e Inovação Social já permeiam os debates em qualquer ambiente tecnológico. E a Internet das Coisas não pode ficar de fora. Ela vai mudar o mundo completamente. Em 5 anos, tudo já será diferente por causa das máquinas inteligentes, que conversam umas com as outras.
A ideia geral é construir a infraestrutura sobre uma base, e assim conseguir compartilhar todos os dados. É a conexão definitiva de objetos, pessoas, processos e computadores.

Até 2020 cada pessoa terá 9 dispositivos que o conecte ao mundo. Atualmente, 80 ‘coisas’ conectam-se à internet a cada segundo, e serão 250 nos próximos anos.
Essa tendência terá um enorme impacto na indústria de viagens, promovendo ainda mais Mobilidade e Conveniência, componentes críticos na satisfação dos clientes.

E os hotéis que embarcarem nessa novidade, poderão aumentar sua eficiência operacional e personalizar ainda mais a experiência do hóspede.

Para entender melhor, assista o vídeo “Evolução da Internet de Todas as Coisas” abaixo:

A mudança impactará todos os negócios:

  • BMW diz que seus carros terão, em breve, diversos sensores, para manutenção, trânsito, seguro e direção autônoma;
  • Um supermercado saberá que você está na área de vinhos e enviará uma mensagem para seu celular com desconto de 20% no produto de sua preferência;
  • Seguradoras vão enviar mensagens a segurados em certas áreas onde são esperadas chuvas de granizo e informá-los sobre lugares seguros para estacionar, economizando dinheiro a todos os envolvidos;
  • O Google Watch é um exemplo típico da internet das coisas. Mas além dos relógios, que ampliarão suas funções, virão anéis, pulseiras que projetam a tela do celular na pele do braço, etc;
  • O chuveiro ligará quando você se aproximar, já na temperatura que você gosta;
  • Seu celular reprogramará automaticamente o horário de despertar, pois recebeu a informação que seu vôo aquela manhã vai atrasar 40 minutos;
  • Você receberá uma mensagem no celular perguntando se o táxi já pode chegar, pois o trânsito está um pouco mais pesado hoje e, ao invés dos 20 minutos habituais, você deverá levar 27 minutos até o trabalho.

Sim, TUDO o que você faz fica registrado. As empresas saberão mais de você do que você mesmo.

E isso vai gerar discussões sobre as 2 maiores consequências da Internet das Coisas, que ainda precisam de estudo e investimento: Segurança e Privacidade.

Operações

  • Termostatos inteligentes;
  • Espelhos conectados à internet;
  • Mordomos robôs;
  • Lâmpadas inteligentes que personalizam automaticamente as condições ambientais para os clientes, baseados em seus padrões de proximidade e movimento;
  • Iluminação e temperatura podem ser ajustadas automaticamente com base em dados de sensores, aumentando a eficiência e eliminando o desperdício;
  • Na indústria da aviação, agentes poderão localizar os passageiros atrasados através de sensores com geo localização, agilizando partidas.

Serviço Personalizado

  • Enviar automaticamente chaves eletrônicas para os celulares de seus clientes, proporcionando um auto check-in;
  • Fechaduras inteligentes que permitem aos visitantes acesso restrito às instalações para melhorar a segurança;
  • Salvar preferências e resgatar esses dados a cada visita, garantindo que todos os hóspedes possam desfrutar de uma experiência consistente e realmente personalizada;

Logística e Segurança

  • Rastrear cadeias de abastecimento mais eficientes, permitindo planejar com antecedência, evitando interrupções de serviço para os hóspedes;
  • Hotéis e cias. aéreas também podem facilmente implantar mecanismos de segurança, com gerenciamento centralizado e sensores de proximidade a partir de qualquer computador ou dispositivo móvel.

Imagino que você pode estar pensando ‘mas todas essas coisas já existem’. Então espere o que vai acontecer quando elas começarem a se comunicar umas com as outras… 

A Internet das Coisas chegou para ficar, e essa paisagem se tornará ainda mais interessante … e complexa.

De 779 líderes de grandes empresas globais pesquisados pela EIU (Economist Intelligence Unit), 60% reconhecem que se não investirem na Internet das Coisas ficarão para trás.

A empresa de turismo e hotelaria que abraçar essa tecnologia, com certeza conseguirá gerir melhor seus custos, centralizar o controle do seu negócios e ampliar suas oportunidades de receita.

Fique antenado!

====

Esse meu artigo foi também publicado no Hôtelier News. Clique Aqui.

Leia também:

Hotelaria e Tecnologia, um boot na relação

A Hotelaria e o Marketing 3.0

Palestrante e Diretora da GO Associados, especializada em Capacitação de Pessoas, Excelência em Serviços, Marketing, Gestão do Luxo, Turismo e Hospitalidade. Gabriela atuou por 20 anos em reconhecidas multinacionais.